Você é nosso visitante de número

quinta-feira, 28 de maio de 2009

OPERAÇÃO BARNABÉ

Texto: (At.4:36)

Introdução: Na história do Novo Testamento, vários líderes da igreja se destacam, mas um em especial chama a atenção: Barnabé. Seu nome inicial era José (O Senhor Acrescenta), mas recebeu dos discípulos um apelido que foi agregado ao seu nome: Barnabé (Filho da Consolação). Era levita e, por isso não tinha herança de terras, provavelmente a herdade que vendeu era de sua esposa (Num.35:6). Tinha lindas qualidades intrínsecas ao seu caráter cristão. Vamos a algumas delas que precisamos por hoje em prática, para realizarmos a “Operação Barnabé”.

1) Quando ninguém faz, eu faço (At.4:37)
Vendeu uma herdade, e trouxe todo o dinheiro. Despertou assim nas pessoas o desejo de contribuir também (At.5)
Os versículos anteriores diz que toda a igreja fazia isso, mas somente ele é destacado, por que? Por que certamente foi ele que puxou a fila. Deus precisa hoje de “puxadores de fila”, gente que antes de mandar, faça.

2) Quando ninguém acredita, eu acredito (At.9:26e27)
Foi Barnabé quem quebrou as barreiras da rejeição ao nome de Saulo de Tarso, contribuindo com sua salvação e aceitação dos apóstolos em Jerusalém (28). Paulo obteve plena liberdade junto à igreja (28)
Paulo foi embora por que foi perseguido pelos gregos e não pelos irmãos mais (29), ao contrário, sua saída causou tristeza e comoção na igreja.

3) Quando ninguém enxerga valores, eu enxergo (At.11:22,25,26)
Paulo foi para Tarso, onde ficou pelo menos dez anos, esquecido pela igreja, vivendo no anonimato e fabricando tendas (Gal.2:1)
Barnabé foi enviado pela igreja Sede em Jerusalém, para edificar a nova igreja de Antioquia (22),
Fez sua parte ali (23), mas foi buscar Paulo em Tarso para pastorear a obra de Deus, e juntos, sem ciúmes e rivalidades, fizeram um grande trabalho (26).
Barnabé enxergou assim em um obreiro esquecido e desprezado, um pastor para aquele momento da igreja.

4) Quando todos desistem, eu ainda insisto (At.15:36ª39)
Marcos tornou-se cooperador de Paulo e Barnabé, mas apenas duas cidades depois, ele voltou para Jerusalém (At.13:13). Perdeu o ânimo talvez.
Quando quis voltar, Paulo não aceitou o seu retorno, não acreditando mais na sua chamada. Mas Barnabé ainda acreditava, e “brigou” com Paulo por ele.
Barnabé levou Marcos para Chipre, sua terra natal, e o recuperou para Paulo mesmo, pois ele reaparece, quando todos desprezaram a Paulo, sendo útil para o velho apóstolo (II Tim4:11).
Depois de recuperar Marcos, Barnabé desaparece. Não se encontra seu nome mais na história sagrada.

Nenhum comentário: