Você é nosso visitante de número

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O Conferencista Internacional


O conferencista internacional

Megalomania (Dicionário Houaiss) 

Acepções ■ substantivo feminino 1 Rubrica: psicopatologia. supervaloração mórbida de si mesmo; macromania 

2 Derivação: por extensão de sentido. predileção pelo grandioso ou majestoso; mania de grandeza 

3 Derivação: sentido figurado. ambição ou orgulho desmedidos 

É trivial piadas sobre "novos ricos". O senso comum indica que aqueles antes pobres que ficam ricos de uma hora para outra manifestam a breguice misturada com a arrogância. No meio evangélico também há os "novos ricos", ou melhor, as "celebridades instantâneas" que abraçam o brega com o orgulho. Não é somente no meio musical, mas principalmente na "indústria da pregação". Os púlpitos, que deveriam levar as palavras da cruz, servem como o palco dos pequenos egos. Vejamos: 

a) O conferencista internacional 

Talvez o meio evangélico seja o maior produtor de "conferencistas", ou seja, aja assunto importante para debater! Na verdade, qualquer pregador que grita como o Galvão Bueno na hora do gol é chamado de conferencista, mesmo sem nunca ter pisado em uma conferência de fato. Além disso, não conformados com títulos, como "pastor" ou "evangelista",  o megalomaníacos querem ser chamados de "conferencistas internacionais". Bobagem ou vaidade? As duas coisas. O sujeito prega na fronteira do Paraguai e já faz a autopropaganda de sua fama internacional. É muita besteira para descrever em pouco espaço. 

b) O reverendo doutor Fulano da Silva 

Quando alguém deve ser chamado de doutor? Apenas no ambiente acadêmico. É somente na academia que os títulos de pós-graduação fazem sentido e são necessários para identificar o padrão de uma aula ou conferência. Conheço vários doutores e não vejo nenhum deles ostentando tal título por aí. É somente na breguice de pregadores que compram diplomas falsos e que fazem questão de serem chamados "reverendos doutores" em qualquer circunstância. É simplesmente boçal. 

c) A terceirização do elogio 

Parece combinado ou talvez até seja. O pregador convidado enche o pastor local de elogios e o pastor local enche o pregador convidado de louvores. É uma babação de ovo sem fim. Cansa ouvir e ao mesmo tempo é constrangedor. Até parece conversa de deputados federais diante de uma entrevista na TV Câmara. Elogiar é parte de uma boa educação, mas tudo tem limite! Certamente que a cultura brasileira é viciada em tais bobagens. Essas atitudes mostram a mundanização do meio evangélico, mas lembrando que o fenômeno não é recente.

2 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro irmão e amigo,
Pr. Josias Almeida,

A Paz do Senhor!

Grato por postar o display da Rhema on Line em seu conceituado blog. em nome de toda a nossa equipe registro nossos agradecimentos.
Deus te abençoe!

Um grande abraço!
Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Anônimo disse...

Eu particularmente acredito que, neste caso o que realmente acontece é a "teoria da auto-afirmação":
Quem tem certeza daquilo que é e está convicto do que realmente é, não sente necessidade alguma de sair dizendo o que é. Por exemplo, um homem heterossexual não sai por aí dizendo: __ Muito prazer, João da Silva, eu sou homem viu?!
A certeza absoluta e irrefutável da sua condição de homem heterossexual faz com que o mesmo, não se preocupe com isso. Ele sabe exatamente quem é, independentemente do que pensam os outros.
Portanto, creio que aquele que se auto-intitula como conferencista internacional, reverendo doutor fulano da Silva ou aquele que terceiriza os elogios, não passa de uma pessoa vazia querendo se auto afirmar. No fundo ela sabe que não é nada daquilo, mas é bom ficar repetindo, pois quem sabe assim as pessoas acreditem que ela é alguma coisa. E até ela mesma passa a acreditar, pois é melhor acreditar nessa MENTIRA CÔMODA que se tornou "verdade" do que encarar a VERDADE INCOMÔDA de que ela é uma "mentira".
Entendo que não devemos procurar a nossa própria exaltação, porque tudo que temos vem do Senhor
até mesmo os dons de pregar a palavra. Mas se a exaltação vier, que venha do Senhor.
Fiquemos então com o ensinamento contido em LC 14:7-11.

Abraços...

A Paz do Senhor!

Carlos Tesser

08/04/12 00:50h.