Você é nosso visitante de número

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A "Ingnorância" dos "Intinerantes"


Quando nasci meus pais já eram crentes, obreiros da casa de Deus. Cresci no evangelho, e tive o privilégio de jovem ainda ser chamado pelo Senhor para sua obra. Meus pais, sempre me orientaram e ensinaram os retos caminhos de Deus e desde cedo, aprendi que a igreja de Jesus está acima de tudo neste mundo. Ainda adolescente comecei a pregar e liderar os jovens de nossa igreja. Tinha muito entusiasmo e eloquência naturais, não obstante meus poucos conhecimentos bíblicos, mas fazia do meu fervor jovem, a tônica de minhas prédicas.
Aprendi muito cedo, que quem chama, garante e sustenta é Deus, e não precisamos muito de esforço humano para fazermos jús ao chamado do Senhor. Mas tenho visto estarrecido uma mudança perigosa e absurda para os padrões que Deus requer de nós.
Hoje, há um marketing desenfreado e estranho das pessoas, querendo abrir portas a força. Para tanto não poupam esforços, chegando a raias do absurdo para serem notadas e receberem assim convites, que lhes garanta agendas, que segundo eles, aumentarão seus curriculuns ministeriais. Sei de um desses pregadores que gasta em torno de 150 mil reais em anúncios em revistas, sites e rádios evangélicas que lhe garante uma super exposição de sua imagem. "Se não fizer isto serei esquecido", argumenta.
Isto infelizmente tem inflamado jovens, que até tem vocação ministerial, mas que ainda estão nas "fraldas", sem nenhuma bagagem ministerial, sem nenhum convívio com outras ovelhas, sem nenhuma orientação pastoral, sem nenhuma experiência espiritual, sem nenhum conhecimento teológico, partem em busca de um sonho, e não raras vezes acabam frustrados, pois muitos nem se firmaram profissionalmente e ficam sem suporte financeiro.
É no mínino estranho e perigoso a forma como procedem, se oferecendo a qualquer pastor e igrejas, para terem uma oportunidade em seus púlpitos, querendo míseras ofertas ou vender seu material.
É só eu estar em alguma reunião, que logo descobrem que sou pastor de igreja, e me "entopem" de DVDs, livros, apostilas, cartões de visitas e números de telefones desses pretensos itinerantes.
Dias desses, travei um diálogo até certo ponto ríspido com um desses personagens. Faço questão de reproduzir, preservando apenas o nome do "intenerante" para não expô-lo ao ridículo:

"Intinerante" diz:
Paz pastor. Um amigo meu me deu seu msn, e queria falar com o Senhor.

Pr. Josias Almeida diz:
Paz do Senhor meu irmão...

"Intinerante" diz:
Então, to indo ai em São Paulo o mês que vem e queria poder pregar em sua igreja, o senhor permite?

Pr. Josias Almeida diz:
Oh! meu amado, não sei quem é o irmão. e além do mais nossa igreja é constituída de bons pregadores, então não vejo necessidade de nesse momento trazer ninguém de fora, a não ser em uma festividade ou ocasiões especiais. Me desculpe...

"Intinerante" diz:
É isto que desanima a gente, pois sou um pregador e ninguém gosta de dar chance.

Pr. Josias Almeida diz:
Bem meu amado, se Deus é quem te chamou, no tempo certo Ele garante as portas abertas, não precisa o irmão ficar mendigando agendas.

"Intinerante" diz:
Poxa pastor, o senhor não entende que sou um intinerante (ele escreveu assim mesmo, e assim se intitula: "intinerante"), e dependo disso prá sobreviver? tenho uma família para cuidar e ninguém me ajuda.

Pr. Josias Almeida diz:
É por isso que te falo meu amado, com muito carinho e amor, não sacrifique a sua família assim. Arrume um emprego e cuide dela. No tempo certo, o Deus que te chamou irá prover meios para você viver só da obra. Enquanto isto, além de cuidar da sua família, ajude seu pastor, pregue na sua cidade mesmo, ganhe almas para o Reino que seu galardão virá do Senhor.

"Intinerante" diz:
Como, se nem meu pastor me ajuda? minha esposa fica pegando no meu pé para mim trabalhar, e Deus me disse no monte através de um vaso, que não posso me incomodar com isto, mas continuar sonhando.

Pr. Josias Almeida diz:
Cuidado meu querido irmão. Esse sonho pode virar um pesadelo. Volto a dizer, se Deus é quem te chamou, fique tranquilo que Ele mesmo te abrirá as portas necessárias sem você estar se expondo ao ridículo de se oferecer. Ministério é isto. Deus é quem chama e garante, sem necessidade de marketing. Ocupe-se em algo. Deus não chama desocupados.

"Intinerante" diz:
Já vi que o senhor é só mais um que não ajuda ninguém e naõ entende que a gente precisa de amigos para termos portas abertas.

Pr. Josias Almeida diz:
Meu filho, entenda, não sou contra seu ministério e nem sua chamada. Recebo convites também para pregar e viajo muito fazendo a obra de Deus, sem precisar forçar nada. Além do mais, me dê uma boa razão por que eu tenho que convidar você para pregar aqui sem te conhecer e sem saber sua origem e procedência?

Não tive resposta. Ele me bloqueou e excluiu do msn. Fazer o que né? Queira Deus ele consiga entender o que quis dizer a ele.

Hoje estava analisando e cheguei a seguinte conclusão: Itinerante é um termo perigoso. Vem da idéia de "Itinerário" ou viagem. Segundo os dicionários significa: Peregrino, andante. Que muda de endereço constantemente. Ex. circo. Que não tem paradeiro fixo. Que para de porto em porto, ou de cidade em cidade, ou de ponto em ponto. Podemos dizer que é sinônimo de nômade, que vive constantemente mudando de lugar; como por exemplo os ciganos. Acho que essas descrições não combinam com um pregador concordam?
Por isso, sempre que posso oriento um pregador a nunca mais dizer que é itinerante, mas sim "obreiro auxiliar". É diferente. Um obreiro auxiliar, tem uma igreja, tem um pastor, dizima, cuida da família, etc.
Tire suas próprias conclusões. Que Deus te abençõe.

Pr. Josias Almeida
18/08/11

Qual a Diferença Entre os Pastores e os Lobos?


Pastores e lobos têm algo em comum: ambos se interessam pelas vidas das ovelhas, e vivem perto delas. Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas. Parecem ovelhas, mas são lobos.
No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos. Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem.Pastores buscam o bem de suas ovelhas; lobos buscam os bens das ovelhas.Pastores gostam de convívio; lobos gostam de reuniões. Pastores vivem a sombra da cruz; lobos vivem a sombra de holofotes.Pastores choram pelas suas ovelhas; lobos fazem suas ovelhas chorar. Pastores tem autoridade espiritual; lobos são autoritários e dominadores. Pastores tem esposas; lobos têm co-adjuvantes.Pastores tem fraquezas; lobos são poderosos. Pastores olham nos olhos; lobos contam cabeças. Pastores apaziguam as ovelhas; lobos intrigam as ovelhas.Pastores tem senso de humor; lobos se levam a sério.Pastores são ensináveis; lobos são donos da verdade. Pastores tem amigos; lobos têm admiradores. Pastores se extasiam com mistério; lobos aplicam técnicas religiosas.Pastores vivem o que pregam; lobos pregam o que não vivem.Pastores vivem de salários; lobos enriquecem. Pastores ensinam com a vida; lobos pretendem ensinar com discursos.Pastores sabem orar no secreto; lobos só oram em público. Pastores vivem para suas ovelhas; lobos se abastecem das ovelhas. Pastores são pessoas humanas; lobos são personagens religiosos caricatos.Pastores vão para o púlpito; lobos vão para o palco. Pastores são apascentadores; lobos são marqueteiros.Pastores são servos humildes; lobos são chefes orgulhosos.Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas; lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.Pastores apontam para Cristo; lobos apontam para si mesmos e para a instituição. Pastores são usados por Deus; lobos usam as ovelhas em nome de Deus. Pastores falam da vida cotidiana; lobos discutem o sexo dos anjos.Pastores se deixam conhecer; lobos se distanciam e ninguém chega perto. Pastores sujam os pés nas estradas; lobos vivem em palácios e templos. Pastores alimentam as ovelhas; lobos se alimentam das ovelhas.Pastores buscam a discrição; lobos se autopromovem.Pastores conhecem, vivem e pregam a graça; lobos vivem sem a lei e pregam a lei.Pastores usam as escrituras como texto; lobos usam as escrituras como pretexto. Pastores se comprometem com o projeto do reino; lobos têm projetos pessoais. Pastores vivem uma fé encarnada; lobos vivem uma fé espiritualizada.Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas; lobos perpetuam a infantilização das ovelhas. Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas; lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.Pastores confessam seus pecados; lobos expõem o pecado dos outros.Pastores pregam o Evangelho; lobos fazem propaganda do Evangelho.Pastores são simples e comuns; lobos são vaidosos e especiais.Pastores tem dons e talentos; lobos têm cargos e títulos. Pastores são transparentes; lobos têm agendas secretas. Pastores dirigem igrejas-comunidades; lobos dirigem igrejas-empresas.Pastores pastoreiam as ovelhas; lobos seduzem as ovelhas. Pastores trabalham em equipe; lobos são prima-donas. Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo; lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles.
Pastores constroem vínculos de interdependência; lobos aprisionam em vínculos de co-dependência. Os lobos estão entre nós e é oportuno lembrar-los do aviso de Jesus Cristo.
*Guardai-vos dos falsos profetas, que vêem a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores*”. (Mateus 7:15)
(Revista Enfoque Gospel, janeiro 2006)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Lições de Abraão, Sara e Agar


Texto: Gen.16


Introdução: Um episódio funesto. Uma pobre escrava que não tinha domínio sobre suas vontades e expectativas e que vivia apenas para agradar sua senhora, foi forçada a fazer algo que não estava no seu script: Deitar-se com Abraão e dar-lhe um filho, por ordem e orientação de sua senhora. Quais lições tiramos dessa estranha história?

1) Ninguém que desce ao Egito consegue voltar sem uma herança perigosa e sem seqüelas espirituais que levamos ao longo da vida. É bom lembrar que Agar era uma herança egípcia, do erro de Abraão cometido no cap. 12:10, quando o patriarca desce ao Egito sem autorização de Deus. Sempre quando saímos do alvo estabelecido por Deus adquirimos funestas heranças que nos custam um alto preço.

2) Ao sugerir a Abraão que se deitasse com Agar, Sara estava mostrando incredulidade em relação a promessa de Deus que eles seriam pais de uma grande nação, e tentou a seu modo ajudar ao Senhor. Deus despreza nossa ajuda, pois Ele é sempre Deus, independente de Nós. ELE transcende a nossa incapacidade. Deixa ELE ser Deus na sua vida.

3) Ao lermos o relato bíblico, entendemos Agar como vítima no processo todo, afinal, ela foi forçada a fazer algo fora de suas pretensões: Jovem ainda, deitar-se com um idoso e dar-lhe um filho, mas o versículo 4, nos mostra a escrava colocando “as asinhas” de fora, menosprezando sua senhora. Ninguém é tão vítima quanto tenta demonstrar e nem tem tanta razão como pensa ter.

4) Ao sentir a humilhação, Sara castiga Agar e, ela, vilipendiada em sua honra foge para o deserto. Quando o Anjo do Senhor a encontra, ordena que ela volte e se humilhe diante de Sara, mesmo ela tendo uma aparente razão (vs. 8 e 9). Independente de nossas razões, Deus prefere nossa humilhação.

5) A última lição que aprendemos, é que até nos nossos erros, Deus pode tirar lindos acertos. Vemos isto na promessa feita a Agar em relação ao futuro de Ismael seu futuro filho: “E ele será homem bravo; e a sua mão será contra todos, e a mão de todos, contra ele; e habitará diante da face de todos os seus irmãos” (Gen.16:12). É só vermos o significado do nome Ismael: “Deus está ouvindo”, para entendermos a beleza da promessa.

Pr. Josias Almeida
Mensagem ministrada no culto da Palavra.

A farsa sobre Jotinha. Porque ele não foi homenageado nas comemorações do Centenário da AD?


Por meio da verdadeira história dos hinos, cujo texto está publicado abaixo neste blog, e do resultado de uma investigação feita por várias pessoas, entre elas pastores, confirma-se que Jotinha e suas histórias podem se constituir numa farsa.

Na investigação verificou-se que os números do RG e CPF que constam na ficha cadastral do senhor José Rodrigues (Jotinha) na CGADB, sob o Nº 43.610, são os mesmos de José Rodrigues Ferreira cujos dados pessoais são os seguintes: nascido em 22 de junho de 1935, na cidade de São Gonçalo, no Estado do Rio de Janeiro, filho de Pedro Vicente Ferreira e Idalina Rodrigues Ferreira, divorciado em 1987 de Esmeralda da Silva Ferreira, cujo casamento aconteceu em 30/12/1961.

Conclui-se, então, que:

- José Rodrigues (Jotinha) é, na verdade, o senhor José Rodrigues Ferreira.

- José Rodrigues (Jotinha) não nasceu em Israel e nem é filho de judeus. Ele nasceu no Estado do Rio de Janeiro e seus pais são brasileiros.

- José Rodrigues (Jotinha) nasceu em 1935 e tem, portanto, 76 anos.

- José Rodrigues (Jotinha) não pode ter convivido com Gunnar Vingren, porque este morreu em 1933 na Suécia antes de Jotinha ter nascido. Com Daniel Berg, muitos irmãos antigos conviveram com ele porque este viveu no Brasil até 1962.

- José Rodrigues (Jotinha) não teve o tal encontro com a irmã Frida Vingren sobre o hino 126, embaixo de um pé de pitomba, porque Frida e Gunnar Vingren retornaram para a Suécia em 1932 (antes de Jotinha nascer) e nunca mais voltaram (Gunnar morreu em 1933 e Frida em 1940).

- José Rodrigues (Jotinha), diferentemente do que ele afirma, já foi casado e divorciou-se.

Obviamente, José Rodrigues (Jotinha) não poderia sequer ter menção nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus por apresentar uma história que já há algum tempo, pelos motivos expostos acima, tem-se evidenciado não ser verdadeira.