Você é nosso visitante de número

terça-feira, 6 de agosto de 2013


Agora pouco vi um pregador renomado reclamando que seu nome foi colocado em um cartaz e sua presença divulgada em um evento sem sua confirmação prévia. Queria fazer um comentário simples e objetivo.

1) Hoje, infelizes são as igrejas e pastores que precisam de "astros" gospels para abrilhantar eventos e reunir o povo. Suas igrejas infelizmente só são movidas a oba oba, e tristemente, o povo vai seformando sem bases solidas na fé, carecendo de embasamento bíblico.

2) A verdade é que muitas dessas estrelas reclamam que são colocadas em cartazes e eventos sem autorização, mas e quando marcam, recebem e nem vão ao local, deixando milhares de "fãs" (arghhh!!) esperando e frustrados, nunca ligam para justificar e muito menos devolvem o dinheiro rece
bido.

3) Queria sugerir aos pastores que antes de congressos, campanhas, confraternizações e outros, (que tem seu lado bom é claro, mas não é tudo), levem o povo a santidade e oração, investindo tempo nos cultos de ensinos e nas escolas dominicais, fortalecendo o povo no conhecimento de Deus.

Em Cristo,

Pr. Josias Almeida

quinta-feira, 27 de junho de 2013

"Se não tiver espaço pra mim eu racho a igreja no meio"


Vi nas redes sociais tal frase como sendo dita pelo Pr. José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB, e tentei ler as matérias, e descobri tendenciosidade absoluta em todas elas. Em todas as matérias escritas sobre isto pinçavam uma frase aleatoriamente solta: "...Pr. José Wellington abriu um precedente abominável e acabou executando o que ele já havia citado em algumas reuniões da mesa diretora, “Se não tiver espaço pra mim eu racho a igreja no meio. Frase esta que teria sido falado pelo próprio Pr. José Wellington segundo sites e blogs de pastores da Convenção".

Busquei vários blogs de pastores da convenção (inclusive os que se opõe ao presidente) e não vi tal frase. Entendi que é mais um factóide criado para colocar gasolina na fogueira. Nunca gostei de opinar sobre isto mas, vamos aos fatos:

1) Á partir das redes sociais, as pessoas se sentem um pouco mais livres para dar vereditos à partir do que lêem, sem fazer nenhum juízo ou tentar filtrar verdades ou mentiras. Simplesmente engolem e propagam, haja vista, ter visto inúmeras pessoas fazendo ácidos comentários à revelia, sem nem perceber que tal frase estava solta e sem nenhuma credibilidade, pois fontes assim não são confiáveis.

2) Conheço Pr. José Wellington, pois me criei na AD Belenzinho e sei que jamais ele diria uma palavra dessas. Em que pese as discordâncias de alguns aspectos e rumos tomados. Veja que quem escreveu tal matéria, nem mesmo o procurou para ouvir sua versão, como manda o bom jornalismo. Simplesmente publicou, pois a frase foi dita por "sites e blogs de pastores da Convenção".

3) Estamos entrando numa área perigosa, advertida pelo própria Senhor Jesus como pecaminosa, ou como escreveu o Pr. Ciro Sanches Zibordi: "Segue-se que julgar segundo a reta justiça é julgar qualquer fato com honestidade, retidão, justiça, etc. Em contraposição, o julgar constante da primeira citação bíblica equivale a caluniar, difamar, julgar de maneira apressada, sem fundamento, propagar suposições como se fossem notícias verdadeiras".

4) Está na hora de pararmos um pouco de engolir tudo o que dizem, a pretesto da onda de protesto que toma conta do Brasil, trazer para os meandros da igreja. A Igreja de Cristo não pode entrar nesta "onda", mas seguir em oração para que o Senhor intervenha.

5) Não quero polemizar ainda mais, mas será que os opositores da CGADB seguem uma linha de conduta tão ilibada assim? de que acusam o Pr. Wellington? De continuísmo? Será que eles querem alternar a presidência de suas igrejas também? De conservadorismo? Será que G12, unção de apóstolos, e outras cositas mais são aceitáveis? Vamos pensar direito.

Que o Senhor Deus nos dê discernimento, equilíbrio e sabedoria para enfrentarmos dias tão conturbados.

Em Cristo,

Pr. Josias Almeida

terça-feira, 25 de junho de 2013

Pr. Josias Almeida - Harpa Cristã 432



Cantando os hinos da Harpa Cristã juntamente com a igreja. Este hino 432 é simplesmente uma oração de consagração ao Eterno...cante agora...

segunda-feira, 25 de março de 2013

CUIDADO COM OS AMIGOS DE JÓ (OU AMIGOS DA ONÇA???)



Auto-intitulados esclarecidos são os que esmiúçam a vida alheia procurando causas para dores sem resposta. Buscam convencer que a miséria é justificada por nosso atos e, que nos ordenam a engolir a dor, as lágrimas, a tristeza. Não querem se incomodar com gemidos e choros. Brincam com chavões e versículos fora de contexto para nos acusar de injustiças cometidas.


Os amigo de Jó quando vêem um cego de nascença, buscam entender com Jesus onde está a causa, quando ela nem sempre existe nos pecados de um ou outro. Narcisistas e invejosos, aproveitam o momento do caído para acusá-lo, detratá-lo, esquecendo que aquele mesmo Jó foi, um dia, conselheiro deles.



Fazendo coro com a mulher de Jó, ficam na expectativa do fim do moribundo, para continuar suas vidas entre os eleitos que até o momento nada sofrem. Esquecem que a miséria pode estar a um segundo de distância. 



Não choram com os que choram: não querem ser associados com esse tipo de situação impopular e incômoda. Mas o que não sabem é que, por melhor que seja seu discurso e oratória, precisarão, diante do Deus que dizem defender, da intercessão do miserável que afligem, pois este sim é o que está agradando-O.



Os amigos de Jó somos nós, eu e você, cheios de escusas quanto a fazer isso ou aquilo pelo reino. Gente que Gandhi dizia ser o grande problema do cristianismo: “cristãos”. Gente que torna a dor de Jó muito maior, por não se importarem com ela, por mais piedosos que pareçam seus conselhos.



Na verdade não são amigos coisa nenhuma. Embora se auto-proclamem assim, são na verdade, AMIGOS DA ONÇA!!!

sábado, 16 de fevereiro de 2013

Diferença Entre Pastores e Lobos




O texto é longo mas é belo. Resolvi postar e gostaria que refletíssemos sobre isso. Extrai da boa Revista Enfoque Gospel:

Pastores e lobos têm algo em comum: Ambos se interessam e gostam de ovelhas, e vivem perto delas. Assim, muitas vezes, pastores e lobos nos deixam confusos para saber quem é quem. Isso porque lobos desenvolveram uma astuta técnica de se disfarçar em ovelhas interessadas no cuidado de outras ovelhas. Parecem ovelhas, mas são lobos. No entanto, não é difícil distinguir entre pastores e lobos. Urge a cada um de nós exercitar o discernimento para descobrir quem é quem. Vamos a análise de quem é quem:

Pastores gostam de convívio, lobos gostam de reuniões. 
Pastores vivem à sombra da cruz, lobos vivem à sombra de holofotes. 
Pastores choram pelas suas ovelhas, lobos fazem suas ovelhas chorar.
Pastores têm autoridade espiritual, lobos são autoritários e dominadores.
Pastores têm esposas, lobos têm coadjuvantes.
Pastores têm fraquezas, lobos são poderosos.
Pastores olham nos olhos, lobos contam cabeças.
Pastores apaziguam as ovelhas, lobos intrigam as ovelhas.
Pastores têm senso de humor, lobos se levam a sério.
Pastores são ensináveis, lobos são donos da verdade.
Pastores têm amigos, lobos têm admiradores.
Pastores se extasiam com o mistério, lobos aplicam técnicas religiosas.
Pastores vivem o que pregam, lobos pregam o que não vivem.
Pastores vivem de salários, lobos enriquecem.
Pastores ensinam com a vida, lobos pretendem ensinar com discursos.
Pastores sabem orar no secreto, lobos só oram em público.
Pastores vivem para suas ovelhas, lobos se abastecem das ovelhas.
Pastores são pessoas humanas reais, lobos são personagens religiosos caricatos.
Pastores vão para o púlpito, lobos vão para o palco.
Pastores são apascentadores, lobos são marqueteiros.
Pastores são servos humildes, lobos são chefes orgulhosos.
Pastores se interessam pelo crescimento das ovelhas, lobos se interessam pelo crescimento das ofertas.
Pastores apontam para Cristo, lobos apontam para si mesmos e para a instituição.
Pastores são usados por Deus, lobos usam as ovelhas em nome de Deus.
Pastores falam da vida cotidiana, lobos discutem o sexo dos anjos.
Pastores se deixam conhecer, lobos se distanciam e ninguém chega perto.
Pastores sujam os pés nas estradas, lobos vivem em palácios e templos.
Pastores alimentam as ovelhas, lobos se alimentam das ovelhas.
Pastores buscam a discrição, lobos se autopromovem.
Pastores conhecem, vivem e pregam a graça, lobos vivem sem a lei e pregam a lei.
Pastores usam as Escrituras como texto, lobos usam as Escrituras como pretexto.
Pastores se comprometem com o projeto do Reino, lobos têm projetos pessoais.
Pastores vivem uma fé encarnada, lobos vivem uma fé espiritualizada.
Pastores ajudam as ovelhas a se tornarem adultas, lobos perpetuam a infantilização das ovelhas.
Pastores lidam com a complexidade da vida sem respostas prontas, lobos lidam com técnicas pragmáticas com jargão religioso.
Pastores confessam seus pecados, lobos expõem o pecado dos outros.
Pastores pregam o Evangelho, lobos fazem propaganda do Evangelho.
Pastores são simples e comuns, lobos são vaidosos e especiais.
Pastores tem dons e talentos, lobos tem cargos e títulos.
Pastores são transparentes, lobos têm agendas secretas.
Pastores dirigem igrejas-comunidades, lobos dirigem igrejas-empresas.
Pastores pastoreiam as ovelhas, lobos seduzem as ovelhas.
Pastores trabalham em equipe, lobos são prima-donas.
Pastores ajudam as ovelhas a seguir livremente a Cristo, lobos geram ovelhas dependentes e seguidoras deles...

Pense nisso!!!