Você é nosso visitante de número

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Passando Por Altos e Baixos


Texto Básico: I Reis 17,18 e 19

 Introdução: A bela história de Elias é um claro sinal de que uma pessoa, independente de sua fé, espiritualidade, e firmeza de propósitos, é passível de passar por altos e baixos na sua caminhada com Deus. Vejamos a vida de Elias:

 Quando Passamos por “Altos”?
 1)      Quando Deus nos tira do anonimato e nos coloca no meio de grandes e poderosos para confrontá-los em atos proféticos. Elias aparece do nada (Tisbe, uma pequena aldeia) para revolucionar a agenda do rei Acabe e da profana Jezabel (I Rs.17:1)
2)      Quando Deus providencia meios para nosso sustento, usando formas inimagináveis e milagrosas: Corvos, viúvas, pequeno ribeiro, etc. (I Rs.17:6ª9)
3)      Quando presenciamos milagres feitos por nosso intermédio: Ressurreição de mortos (17:21e22), fogo do céu (18:38), chuva depois de mais de 3 anos de seca e corrida milagrosa de 25 km à frente do carro do rei (18:46).
4)      Quando podemos desafiar quem quer que seja e mostrar que Deus está do nosso lado e pode fazer qualquer coisa por nós (18:39).
5)      Quando temos fé suficiente para crermos que uma pequena nuvem, do tamanho da mão de um homem, pode trazer uma violenta tempestade (18:44).

 Quando Passamos por “Baixos”?

  1)      Quando esperamos que as coisas aconteçam de um jeito e acontece de outro: Depois da vitória, Elias esperava a aprovação de Jezabel, mas foi surpreendido pela perseguição (I Rs.19:1e2).
2)      Quando ignoramos um claro sinal de Deus: Um anjo lhe acorda com pão e água, ele come e volta a seu estado mórbido anterior: Dormir. Se antes uma pequena nuvem era sinal de milagre, agora nem um anjo é capaz de lhe mostrar a vitória (19:15e16).
3)      Quando nos isolamos de todos, pensando que somos exclusivos, que tudo gira em torno de nós, e sem nós, a coisa não funciona (19:10)
4)      Quando temos a oportunidade de ficar frente a frente com o Altíssimo e ficamos querendo nos justificar, com autocomiseração, se fazendo de vítima, tentando convencer a Deus de nosso extremo zelo (19:14). – Ps: Deus não nos mandou ser extremamente zeloso, mas sim zeloso apenas. Todo extremo é perigoso.

 O que Deus Faz?

 1)      Mostra-nos nosso equívoco: Tem mais gente passando pelo que estamos passando: Sete mil joelhos que não se dobraram a Baal (19:18).
2)      Manda-nos fazer o mesmo caminho de volta (sem atalhos), pelo deserto de Damasco: Mais deserto? Deus não alimenta nossa alto-estima (19:15).
3)      Dá-nos trabalho para fazer, nos ocupa com uma terapia funcional: Ungir reis e profetas, era o que ele sabia (19:15e16). Já que pediu a morte, Deus prepara seu sucessor na sua “barba” (19:16).


Nenhum comentário: