Você é nosso visitante de número

quinta-feira, 28 de maio de 2009

OPERAÇÃO BARNABÉ

Texto: (At.4:36)

Introdução: Na história do Novo Testamento, vários líderes da igreja se destacam, mas um em especial chama a atenção: Barnabé. Seu nome inicial era José (O Senhor Acrescenta), mas recebeu dos discípulos um apelido que foi agregado ao seu nome: Barnabé (Filho da Consolação). Era levita e, por isso não tinha herança de terras, provavelmente a herdade que vendeu era de sua esposa (Num.35:6). Tinha lindas qualidades intrínsecas ao seu caráter cristão. Vamos a algumas delas que precisamos por hoje em prática, para realizarmos a “Operação Barnabé”.

1) Quando ninguém faz, eu faço (At.4:37)
Vendeu uma herdade, e trouxe todo o dinheiro. Despertou assim nas pessoas o desejo de contribuir também (At.5)
Os versículos anteriores diz que toda a igreja fazia isso, mas somente ele é destacado, por que? Por que certamente foi ele que puxou a fila. Deus precisa hoje de “puxadores de fila”, gente que antes de mandar, faça.

2) Quando ninguém acredita, eu acredito (At.9:26e27)
Foi Barnabé quem quebrou as barreiras da rejeição ao nome de Saulo de Tarso, contribuindo com sua salvação e aceitação dos apóstolos em Jerusalém (28). Paulo obteve plena liberdade junto à igreja (28)
Paulo foi embora por que foi perseguido pelos gregos e não pelos irmãos mais (29), ao contrário, sua saída causou tristeza e comoção na igreja.

3) Quando ninguém enxerga valores, eu enxergo (At.11:22,25,26)
Paulo foi para Tarso, onde ficou pelo menos dez anos, esquecido pela igreja, vivendo no anonimato e fabricando tendas (Gal.2:1)
Barnabé foi enviado pela igreja Sede em Jerusalém, para edificar a nova igreja de Antioquia (22),
Fez sua parte ali (23), mas foi buscar Paulo em Tarso para pastorear a obra de Deus, e juntos, sem ciúmes e rivalidades, fizeram um grande trabalho (26).
Barnabé enxergou assim em um obreiro esquecido e desprezado, um pastor para aquele momento da igreja.

4) Quando todos desistem, eu ainda insisto (At.15:36ª39)
Marcos tornou-se cooperador de Paulo e Barnabé, mas apenas duas cidades depois, ele voltou para Jerusalém (At.13:13). Perdeu o ânimo talvez.
Quando quis voltar, Paulo não aceitou o seu retorno, não acreditando mais na sua chamada. Mas Barnabé ainda acreditava, e “brigou” com Paulo por ele.
Barnabé levou Marcos para Chipre, sua terra natal, e o recuperou para Paulo mesmo, pois ele reaparece, quando todos desprezaram a Paulo, sendo útil para o velho apóstolo (II Tim4:11).
Depois de recuperar Marcos, Barnabé desaparece. Não se encontra seu nome mais na história sagrada.
Os Inimigos do Ungido
(I Sam.16:13)

1) O Não ungido – Eliabe (16:7)
Eliabe tinha tudo para ser o escolhido: O primogênito, o mais belo, o mais alto. Certamente foi para casa esperando a unção, mas foi rejeitado por Deus.
Seu comportamento em relação ao ungido Davi, mostra o por que dele ter sido rejeitado: Uso de armas satânicas contra o ungido:
- Descaracterização: Você nem pastor de ovelhas é direito, (poucas ovelhas) e quer ser guerreiro?
- Imposição de Personalidade: Você é maldoso e presunçoso (mentira, era ele que era). Quem foi pra casa mais cedo esperando a unção foi ele (16:6).
* Como Davi respondeu? desviou-se dele e foi falar a outro.

2) O Ex-ungido – Saul (16:1)
Foi o escolhido, mas foi rejeitado pelo Senhor. Uma pessoa se torna ex-alguma coisa de três formas: Deposição, Finalização de tempo de mandato, ou Rejeição. Rejeição foi o caso de Saul. Quais são os sintomas de um ex-ungido?
a) Medo e falta de coragem de encarar situações extremas. Tenta ganhar tempo empurrando com a barriga (16:11/32).
b) Desanimar e tentar matar a chamada de um ungido (16:33).
c) Vestir e armar o ungido. Roupas e armas de ex, não servem a ungido. (Tentativa de tirar humanizar a conquista, e tirar a glória de Deus).
O que fez Davi?
a) Encorajou o medroso (32) ex. b) Contou-lhe experiências secretar com Deus (34 e 35). c) Preferiu usar armas as quais estava acostumado 40).

3) O Anti-ungido – Golias
O princípio número um do anti-ungido e matar e destruir o ungido.
Quais são suas armas?
a) Desprezo. b) Zombaria c) Ameaças
Como responder a isso?
a) Mostrando a verdadeira arma (nome de Jesus) b) Usando princípios aprendidos no passado (ferir e depois matar) c) Usando a própria espada de Golias.
Virando a Mesa
Jz.1:7

Introdução: Virar a mesa é uma expressão popular que significa sair de um estado de humilhação e fracasso, assumindo um posicionamento vitorioso. A Bíblia nos mostra exemplos abençoadores de situações assim.

1) Adoni-Bezeque, maioral dos cananeus, capturou e prendeu setenta reis, e os humilhou:

a) Cortando seus polegares: Tirando seu equilíbrio e destreza: Não conseguiam mais fazer o que faziam na guerra e nas artes.
b) Fazendo-os comer migalhas: Migalhas não são sobras. Migalha é descartável. Ninguém come.
c) Sujeitando-os a humilhação debaixo de uma mesa: Rebaixados de sua realeza, sem herança, sem coroa, sem futuro.

2) Não sabemos o que aconteceu aos reis, mas sabemos o que aconteceu a Adoni-Bezeque: Pagou com a mesma moeda. As tribos de Judá e Simeão fizeram mais do que isso: O mataram. Mande um recado pra seu inimigo (Sal.7:15).

3) Como é o final de quem está debaixo da mesa:

a) Convocado a reassumir sua realeza (Mefibosete)
b) Comer na presença dos inimigos (Sal.23:5)

Pr. Josias Almeida


Obrigado por chegar até aqui. Entrei também nessa onda dos blogs... Não sei muito bem como funciona, mas vamos lá...

Aqui você acessará esboços de mensagens, comentários e um pouco de nosso Ministério... Que Deus te abençõe muitíssimo...